Escrivinhando...
A FELICIDADE só é PLENA quando é COMPARTILHADA
Capa Meu Diário Textos E-books Fotos Perfil Livro de Visitas Contato Links
Textos
ACADEMIA AGUABRANQUENSE DE LETRAS E ARTES
(A Piada Pronta!)



- Crônica do dia 25-03-2020 -

Uma coisa que a galera precisa entender, é que sem livro publicado, posto a venda e aceito pelo público, não se é escritor. Assim como sem coleção de arte produzida, não se é artista. Sem disco composto, não se é compositor.

O artista é reconhecido profissionalmente pela sua criatividade e trabalho de sua obra dentro de seu momento histórico e social.

Arte quando meramente decorativa, não é arte é PEÇA DECORATIVA.

Enquanto eu não vir, Paulo Soares de Oliveira, Cristiniano Guimaraes, Du de Bia, D. Marlene da Serra das Art Quilombola Serra Das Viúvas, dentre outros membros que são de extrema importância para a identidade cultural de Água Branca, não reconheço a legitimidade desta Academia de Letras, e nem me mandem convite pra curtir.

Gil Artes tem trabalho reconhecido até no exterior, legítima a sua participação, assim como outros diversos que não citarei nomes para não correr o risco de magoar um ou outro, citei o seu nome porque sou fã dele, de verdade, e não escondo isso de ninguém.

Paulo Soares de Oliveira, fez exposição de coleção completa de escultura em madeira morta, "O GRITO DA CAATINGA" em Universidades, no Palácio do Governador e foi aceito até na Galerie d'Art Beauchamp, em Paris, uma das galerias mais importantes DO PLANETA.

Mas é importante salientar que é necessário ter o mínimo senso crítico para distinguir o que é arte do que é obra aleatória.

Por exemplo, cadê o professor Gilberto, indígena aguabranquense, Mestre em educação, com livro de relevância lançado, compondo esta academia de Letras?

Cadê o Padre Rosevaldo que formou tantos músicos nesta cidade com o Coral Villa Lobos? Ana Clécia que cantou no Festival de Inverno de 2007 música de parceria de Diversos artistas locais com tema próprio, foi revelada nacionalmente e não seguiu carreira porque optou pelo sonho de se casar com um marido machista e músico medíocre que a pediu pra escolher entre ele e a carreira e depois a abandonou?

Cadê Manoel Lobinho nesta academia? Afinal, a música tema da cidade foi composta em parte por ele, outra parte por Zé Silva e a música é minha.

Se Leléo taí, no mínimo, Sandro de Waldemar deveria estar também, aliás o filho de Sandro Lima foi reconhecido como um dos melhores poetas do país. Sem contar o próprio Nozinho.

Há outros artistas plásticos, como Marcelo irmão de Plínio, Luiz França (Junior de Rosinha), Eddy Nencas Soull, músico multinstrumental, que salvo engano já tem até música gravada em São Paulo, Mosquito, que é propagador de cultura popular em Água Branca, por puro amor, e outros e outros e outros que permanecem anônimos porque não sabem divulgar seus trabalhos ou porque não têm apoio.

Afinal, parece que o critério é que não tem critério nenhum!

Eu tenho 4 livros escritos, e três deles aprovados pela Editora Viseu para serem lançados nacional e internacionalmente este ano, mais de 25 músicas compostas em diversos estilos e idiomas, Antônio Gavião (Sr. Antônio da Padaria, meu tio), já tem leitores até na Europa!

Pra mim, essa academia Aguabranquense de Letras, mais parece uma panelinha que uma Agremiação Séria. E eu não gosto de panelinhas.

Mas, fazer panelinhas é algo que algumas turmas daí adoram, porque vivem com a cabeça em Nárnia, e são tão carentes de atenção, que precisam estar em holofotes para sentirem-se valorizados como seres humanos.

E ache ruim o que estou dizendo se quiserem, afinal, nunca tive muitos amigos mesmo, nem curto amizades falsas. Nem vou alimentar ego de ninguém pra poder ganhar amizade de mentirinha.

No mais, o papel do amigo é falar a verdade pra que ele faça uma auto-análise e não passe vergonha. Nunca conheci Heládio como militante de cultura, e ele nem sabe por onde começa o que é captação de recursos e divulgação de artistas, assim como nem sabe o que é o Portal SALIC.

Duvido até que ele saiba ao menos definir qual o conceito de ARTE.

E não vou me alongar para não ser mais ácido do que já fui.

Então, por favor, enquanto vcs não trabalharem com seriedade, não me chamem nem pra curtir e menos ainda pra compor, porque eu não curto palhaçada e grupo feito pra auto-promoção!

Graciliano Tolentino
Graciliano Tolentino
Enviado por Graciliano Tolentino em 17/07/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários
Capa Meu Diário Textos E-books Fotos Perfil Livro de Visitas Contato Links