Escrivinhando... - Graciliano Tolentino
A FELICIDADE só é PLENA quando é COMPARTILHADA!!!
Capa Meu Diário Textos E-books Fotos Perfil Livro de Visitas Contato Links
Textos
ENERGÚMENOS, VIADOS, MÃES E UM NAZISTA: MAL VINDO AO BRASIL!

- Crônica do dia 21-12-2019 -

A última semana foi marcada por eventos que espelham a cartilha de Adolf Hitler, Mein Kampf. O famigerado livro que o austríaco nascido aos vinte dias do mês de abril e carregado às margens do rio Bavaria, escreveu em sua prisão política que durou nove meses.

Minha Luta (Mein Kampf), traz o pensamento único e odioso de Adolf Hitler em capítulos que prometem devolver a dignidade ao povo da Alemanha e mais, construir um período de sucesso no qual o país seria uma hegemonia inconteste por pelo o menos mil anos. O Terceiro Reich.

Com soluções simples e de fácil compreensão, o livro ataca coisas essenciais que são a base de uma sociedade racional e democrática, a imprensa (“judia e marxista”), a ciência (“judia e marxista”) e a liberdade sexual (“promiscuidade”).

E isso tem por base pensamentos estratégicos que são possíveis de perceber em frases de sua própria autoria. Muitas pessoas me perguntam o porquê de eu bater tanto nesta tecla. Eu respondo: ISSO PRECISA SER DISCUTIDO. As pessoas sabem apenas superficialmente quem foi Adolf Hitler e o que foi o NAZISMO, e, sequer, conhecem a própria obra literária NAZISTA.

E é exatamente esse O MOTIVO DE O NAZISMO ENCANTAR AS PESSOAS: O POUCO CONHECIMENTO QUE ELAS TÊM SOBRE ELE. Claro. Existem pessoas más mesmo. Mas estas são minoria. Tem muitas pessoas boas que simplesmente não têm conhecimento algum sobre o tema e acabam se levando por discursos de ódio que são bastante influenciadores.

Afinal, por mais que os cientistas promovam o desenvolvimento da sociedade, e por mais que nenhuma pessoa pacífica em sã consciência, por mais que seja fanática religiosa, não queria ver corpos de LGBT’s estendidos no meio das ruas, também ficam horrorizados com “mamadeiras de pirocas”, “kit gay”, “incentivo a viadagem nas escolas” etc. Mas, QUAL O MOTIVO DE O COMBATE SER EXATAMENTE À EDUCAÇÃO? Simples:

“É sempre mais difícil lutar contra a fé do que lutar contra a inteligência.”
ADOLF HITLER

Outra tática nazista é desmoralizar o seu adversário, então, logo, ele ataca o seu adversário com valores de seu público: ENERGÚMENO! Isso foi com Paulo Freire... O terceiro teórico mais citado no mundo... Dr. Aurélio, SOCORRO!

Energúmeno:
1. [Antigo] Aquele que acreditava estar possuído pelo demônio; possesso.
2. [Figurado] Sujeito sem conhecimento, que age como um boçal; imbecil, ignorante.
3. Indivíduo que possui um comportamento descontrolado; quem se descontrola por excesso de paixão; desatinado.
4. Etimologia (origem da palavra energúmeno). Do grego energoúmenos. "possesso"; pelo latim energumĕnos, "possuído pelo demônio".

Então ele “DEMONIZA” o educador que escreveu a PEDAGOGIA DO OPRIMIDO, que desenvolveu um método de educação que visa a criar um cidadão crítico que não esteja simplesmente sujeito aos valores de seu dominador. Sim... De fato, isso é “assustador”!

“Desmoralizar o inimigo surpreendendo-o, aterrorizando-o, sabotando-o, assassinando-o. Esta é a guerra do futuro.”
ADOLF HITLER

Sem contar que fica mais fácil fazer uma guerra de memes na internet comparando um filosofo a um eletricista, por exemplo, colocando-o como um reles alcoólatra, liso e inútil que tem sua luz desligada pelo indivíduo que tem por nível acadêmico o curso técnico em eletricidade, pois:

“Toda propaganda tem que ser popular e acomodar-se à compreensão do menos inteligente dentre aqueles que pretende atingir.”
ADOLF HITLER

Ao destilar sua verborragia, Bolsonaro não está demonstrando loucura ou mesmo insensatez ou sequer burrice. Está seguindo uma estratégia lógica em busca de algo programado que parece que os grandes intelectuais não estão conseguindo perceber porque tropeçam em algo muito gigantesco dentro deles: SUA ARROGÂNCIA.

Bolsonaro é mais que um exímio líder político. Ele é um líder político-militar com fortíssimo apoio religioso e uma total falta de escrúpulos. No mais, subversivo dentro do sistema militar em pleno início da década de noventa.

Suas estratégias estão funcionando. Todas elas, e ele não precisou ler os milhares de livros que os grandes intelectuais leram, apenas precisou ler alguns que lhe ensinaram o caminho da dominação. E ele está bem encaminhado neste sentido.

O que ele busca não é um eleitorado consciente, é um eleitorado fanático às mostras do eleitorado do Lula, que faça chuva ou sol, seus trinta por cento sempre estarão ali. O Lula não conseguiu fazer sucessores, o Bolsonaro fez sucessores naturais, seus amados filhos, e ainda tem uma garotinha, caso a coisa mude de forma (tenho mais medo da garota do que dos meninos, confesso, já viram o olhar assustador dela? Dá roteiro do Hitchcock!) ou seja, por mais que Bolsonaro morra de velho ou de qualquer outra causa, sua ideia permanecerá.

E permanecerá porque o FASCISMO sempre estará presente na sociedade, em qualquer sociedade, esperando a mínima brecha que a democracia dê para que ele saia de sua tumba e recomece a vagar por aí como os cadáveres de “The Walking Dead”.

Esse fanatismo é o sentimento desejado por todo autocrata, e a menos que comecemos a desarmar o inimigo o poder absoluto dessa “encrenca” que está no poder será alcançado, e aí, a América Latina vai ficar pequena pra ele, pois, de uma coisa ele tem razão O BRASIL SE BEM APROVEITADO SEU POTENCIAL SE TORNA POTÊNCIA BÉLICA E ECONÔMICA.

EIS A ESTRATÉGIA DO INDIVÍDUO:

“O FUTURO DO MOVIMENTO é condicionado pelo FANATISMO, sim, a INTOLERÂNCIA, CUJA ADERÊNCIA O SUSTENTA COMO O ÚNICO MOVIMENTO CORRETO, e o impulsiona sobre outras formações similares.”
ADOLF HITLER

E deste FANATISMO nasce o PODER SUPREMO:

“A um príncipe é necessário ter o povo ao seu lado [...] De outro modo, ele sucumbirá às adversidades."

Graciliano Tolentino
Graciliano Tolentino
Enviado por Graciliano Tolentino em 21/12/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários