Textos


RACISMO “NUTELA” = RACISMO “VELADO” = DISCRIMINAÇÃO “CORTESA” = RACISMO “REAL”

- Crônica do dia 28-11-2019 –
 
O mais interessante de argumentar com a turma da “direita” é ter que ficar traduzindo os termos que eles criam pra tratar os que já existem seja por IGNORÂNCIA, seja por MALDADE. Uma vez em debate entre dois amigos meus, colegas no Fórum do Brás na hora do almoço, um, advogado, negro, paulista, corintiano e esquerdista, o outro, filósofo, branco, carioca, sem time e centrista, sobre essa temática a respeito da importância do uso dos nomes das coisas, foi levantado.
 
E, sim! A discussão girou em torno, basicamente, do fato de que as coisas têm nome a partir de uma convenção social a esse respeito, e ninguém pode usar outro nome pra defini-la! Deveria ser óbvio... Mas não é, e, neste dia, juro, neste dia mesmo, foi que eu percebi o quanto isso realmente é importante.
 
Como por exemplo, “ninguém pode chamar uma ‘FACA’ de ‘GARFO’ e esperar que seja entendido!”. Mais ainda, já está decidido pela essência de cada coisa. Ou como já disse a filósofa Carla Pérez: “Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa”. Pra ser mais LÚCIDO (não claro).
 
Então, voltando para os TERMOS CORRETOS, RACISMO é o conjunto de teorias e crenças que estabelecem uma hierarquia entre as raças, entre as etnias ou doutrina ou sistema político fundado sobre o direito de uma raça (considerada pura e superior) de dominar outras.
Ou, ipsi litteris, de acordo com o dicionário Aurélio:
 
Reunião dos conceitos que afirma existir uma hierarquia entre etnias e/ou raças.
Sistema doutrinário ou político que estabelece a exaltação de uma raça, em detrimento das demais; sistema que afirma a superioridade de um grupo racial relativamente aos outros, preconizando, em particular, o isolamento destes no interior de um país (segregação racial) ou até visando o extermínio de uma minoria: o racismo anti-semita dos nazistas.
 
O RACISMO É GÊNERO do qual PRECONCEITO e DISCRIMINAÇÃO SÃO ESPÉCIES.
 
PRECONCEITO é o RACISMO que se manifesta de forma INTERNA ou MENTAL.
Enquanto,
 
DISCRIMINAÇÃO é RACISMO que se manifesta de forma EXTERNA ou PRÁTICA.
 
Ou seja, falando de FASES DO CRIME, é como se o PRECONCEITO correspondesse às fases de COGITAÇÃO E PREPARAÇÃO. Enquanto a DISCRIMINAÇÃO correspondesse às fases de EXECUÇÃO, CONSUMAÇÃO E EXAURIMENTO.
 
Assim como em todos os outros tipos penais, a fase dita, MENTAL do crime, não é punível. Então, ninguém pode ser punido por ter preconceito, e sim, por DISCRIMINAR EM VIRTUDE DE PRECONCEITO. Ou seja, em outros termos, NINGUÉM É OBRIGADO A GOSTAR DE PRETO, MAS NÃO PODE TRATAR ALGUÉM DE FORMA DIFERENTE POR SER PRETO, ou índio, ou cigano, ou oriental!
 
(BRANCO NÃO SOFRE RACISMO NOS TERRITÓRIOS QUE COLONIZOU. NÃO EXISTE RACISMO REVERSO. RACISMO É ALGO EXISTENTE EM UMA RELAÇÃO ENTRE UMA RAÇA TIDA HISTORICAMENTE POR SUPERIOR E OUTRA TIDA HISTORICAMENTE POR INFERIOR).
 
Assim como é ALGO EXTREMAMENTE ERRADO taxar o RACISMO NO BRASIL DE “NUTELA” e o RACISMO NOS E.U.A DE “REAL”. Se ele existe, logo, É REAL. O processo de formação do povo de cada país é que foi diferenciado. Enquanto lá existiu uma separação racial física, aqui houve um processo chamado de MITO DA IGUALDADE RACIAL fortalecido por autores como GILBERTO FREIRE em livros clássicos como CASA GRANDE E SENZALA.
 
Logo, enquanto o racismo nos E.U.A se externava em TODOS OS ELEMENTOS SOCIAIS com a existência de uma espécie de “Apartheid”, no Brasil ele aconteceu de forma mais velada, porém tão aterrorizadora quanto, porque agiu na essência do domínio racial, O RACISMO INSTITUCIONAL.
 
Nessa “modalidade” de racismo, veda-se o acesso aos bens que conferem dignidade ao ser humano, como, principalmente a EDUCAÇÃO. Logo, sem educação, o negro é dominado, sendo dominado permanece exercendo os trabalhos sujos e de natureza braçal enquanto os sofisticados e de comando, logo, melhores remunerados, continuam a cargos dos brancos.
 
Então, permanece a diferenciação entre o centro para os brancos e as periferias para os negros, os sobrados para os brancos e os mocambos para os negros, os APARTAMENTOS PARA OS BRANCOS, AS FAVELAS PARA OS NEGROS.
 
E a gente volta para o discurso do Deputado Silveira, MORREM MAIS PRETOS PORQUE NO CRIME E NAS FAVELAS TÊM MAIS PRETOS. ESSE É O RACISMO À BRASILEIRA! O RACISMO INSTITUCIONAL que o CAPITÃO DO MATO, Sérgio Camargo, chama de “Nutela”.
 
Talvez fosse melhor ele ser ESCANCARADO há muito tempo como está sendo agora, porque aí seria mais fácil de ser HISTORICAMENTE combatido.
 
“A maior façanha do Diabo foi convencer o mundo de que ele não existe”.
 
Graciliano Tolentino
 
Graciliano Tolentino
Enviado por Graciliano Tolentino em 28/11/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr