Textos


DEPUTADO SILVEIRA e o RACISMO À BRASILEIRA
- Crônica do dia 20-11-2019 -

“Tem mais negros no crime”. Isso é mais do que óbvio! Uma constatação tão simplória quanto a mente do milico que proferiu a frase. Afinal, como a gente já sabe, TAR é unidade de medida de inteligência. É...
TAR – deciTAR – centiTAR – milTAR

Mas é natural que alguém que possua uma compreensão superficial e esteja acostumado a cumprir ordens sem questioná-las, também analise superficialmente as coisas. Como, por exemplo: Qual é o motivo de “ter mais negros nas favelas e no crime”?

Isso faz parte do mesmo GENOCÍDIO DA POPULAÇÃO NEGRA que o infeliz negou a existência.
Já que o militar cabulou esta aula no ensino fundamental, ou estava no fundão da sala fazendo bullying com as minorias, faço questão de relembrá-lo. Vamos, então à aula de “reforço escolar”.

O negro foi escravizado no Brasil e depois de tanta luta por parte dos abolicionistas e o processo de abolição que passou pela Lei Eusébio de Queiroz, depois, Lei do Sexagenário, depois, Lei do Ventre Livre, a Princesa Isabel assinou a Lei Áurea.

Os grandes ruralistas brasileiros, liderados pela elite cafeeira paulista ficaram indignados com a postura vista por “antidemocrática” da Redentora e de um Golpe de Estado MILITAR no dia 15 de novembro de 1889. (Um ano após a abolição que foi dia 13 de maio de 1888).

Os negros foram exilados da sociedade, e, no lugar deles pra trabalhar, foram trazidos para o Brasil imigrantes europeus e japoneses. Têm-se, então, início ao “Plano de Embranquecimento da população brasileira”.

Então o negro é expulso dos centros e obrigado a tentar sobreviver em lugares de difícil acesso e sem saúde, alimentação, segurança, nada. A estratégia foi tão eficaz, que, na década de vinte, mesmo 69% da população brasileira sendo negra, apenas 5% dos nascidos vivos, que permaneciam vivos após uma semana de vida, eram negros.

O que restou para as chamadas “tias negras” foi trabalharem de babás pra garantirem nosso sustento, além de terem de sofrer abuso sexual por parte dos patrões brancos, humilhação das sinhás, dentre outras coisas.

Outros pretos optaram pela criminalidade e outras garotas pela prostituição como forma de subsistência por não suportar sofrerem tamanhas humilhações que até hoje são latentes nas relações de trabalho.

Nesses mais de cem anos de golpes militares, o que mais houve foi o crescimento e a sofisticação dessa criminalidade, gerada pelo não acesso da população negra aos bens que lhes conferem uma coisa muito importante: Dignidade.

Então querido deputado, até o fato de “existirem mais negros no crime” é resultado do plano de Genocídio da População Negra. Conseguiu compreender agora? Nenhum preto tá pedindo perdão por nada. Quem deveria pedir perdão é esse samango racista, pela tamanha ignorância e estupidez que assolam seu nanocérebro.

Talvez seja porque esse samango tenha recebido treinamento apenas para limpar a sujeira que seus patrões fazem, ao invés de entender as causas da baderna. Ou talvez porque a única frase que ele consiga pronunciar que faça algum sentido seja:

- SIM SENHOR!


Graciliano Tolentino
Graciliano Tolentino
Enviado por Graciliano Tolentino em 20/11/2019
Alterado em 20/11/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr