Escrivinhando... - Graciliano Tolentino
Vez em quando eu sinto, em meus sonhos, o cheiro daquela terra gostosa...
CapaCapa
TextosTextos
E-booksE-books
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos


CACHOEIRA DO VAI-VÉM
-Cordel do dia 24-04-2019-

Vai que vem o inverno
E ela vive a despejar
No seu vai e vem eterno
Água viva derramar
E eu, assim, tão subalterno
Vivo lá pra me banhar

Nessas águas de Oxum
No recanto de Iemanjá
Meu coração faz TUM, TUM TUM!
Quando ela faz CHUÁÁÁ
E meu corpo faz TCHIBUM!
Pra minh’alma se alegrar

Merecida de elogios
Sem nunca os esperar
Em seu colo tão macio
Que está sempre a acalentar
Naquela queda de rio
Que me faz tanto sonhar

Minha amada cachoeira
Prateada ao luar
Com seus pés de quixabeira
Minhas feridas curar
E eu sem eira nem beira
Nunca me foi desprezar

Pois és mãe de todos nós
Desta terra tão sofrida
E quando estamos sós
Mostra sempre ser amiga
Quando ouço tua voz
Curo de todas as fadigas

Minha linda, flor do dia
Para a noite empresta o cheiro
Faz a vida mais macia
Nem precisa de dinheiro
Recebe com alegria
Um doutor e um cocheiro

Seja padre, pastor ou ateu
De budista a macumbeiro
Todos, sempre recebeu
De careta a maconheiro
Que pra ser amigo teu
Não precisa de exagero

Basta ir com respeito
E beijar a tua mão
Que com ela envolve o peito
Nunca faz acepção
Faz de si própria um leito
Pra quem tem bom coração

Não mede esforços, nem grita
Até mesmo no verão
Quando já está tão aflita
Em teu seco ribeirão
Como quem forte milita
E mata a sede no sertão

Dia vai, dia vem
E com sua paciência
Apenas diz sempre amém
E mantém resiliência
Se não for tu, mais ninguém
É exemplo de clemência

Tempo vai, tempo vem
E você espera o dia
De quem te olha com desdém
Ir aí fazer folia
E sempre devolve o bem
Com olhos cheios de alegria

Água vai, água vem
Quando a chuva cai na terra
Sem tostão e sem vintém
Põe fim à toda guerra
Pois só tu é quem detém
Os segredos desta serra

Vai-Vem, minha linda estrela
No inverno vai voltar
Caudalosa, forte e bela
Para a todos encantar
Foi Deus que pintou a tela
Sem beleza a parear!


Graciliano Tolentino
Graciliano Tolentino
Enviado por Graciliano Tolentino em 24/04/2019
Alterado em 24/04/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários