Textos


República Brasileira é Invenção de Corno (literalmente)!

A República só poderia mesmo ser a invenção de um corno! E quando esse corno é alagoano... Aí temos um problema maior.

E, se esse corno é alagoano, militar e MARECHAL! Aí temos o fim dos tempos! Vivas ao Imperador! Digo, à República!

O Brasil Imperial tinha tudo o que o Brasileiro comum gosta.

Armas, conservadorismo, Estado Confissional, feudalismo, inexistência de leis trabalhistas, diga-se de passagem, com escravidão e tudo, mesmo a família Real sendo abolicionista.

Sim, era. Os negros que trabalhavam para a família real eram alforriados e assalariados... Pasmem!

Discussão gradativa da Reforma Agrária, guerras, mulheres sem capacidade civil, uma excelente malha ferroviária, país sem poluição, segunda maior e mais forte marinha do mundo, soberania, representatividade internacional.

Tínhamos escritores bons, música nacional emergindo, um Imperador, um redentor com pulso de ferro, que respeitava ao menos a liberdade de imprensa, e, também dormia nas reuniões... Mas falava dezesseis idiomas e foi o cara que deu reconhecimento ao telefone.

É amiguinho, se você tem um IPhone hoje, agradeça a Dom Pedro II. Grahan Bell era só um louco largado no canto naquele evento de tecnologia.

E aí, temos a porcaria de um militar no poder (estou falando de Marechal Deodoro), que entra no poder, e a primeira coisa que faz é aumentar o próprio salário, aumentar as regalias dos ministros (ainda estou falando de Marechal Deodoro) e entregar o Brasil aos ruralistas escravocratas (ainda estou falando do Marechal alagoano).

Então... Tipo... Já que o Brasileiro gosta tanto desse Brasil, vamos pelo o menos escolher esse Brasil aí do jeito certo...

Eu voto por devolver o Brasil à família real e reestabelecer a Constituição de 1824.

Quem vem junto?


Graciliano Tolentino
15-11-2018
Graciliano Tolentino
Enviado por Graciliano Tolentino em 15/11/2018
Alterado em 15/11/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr