Textos

Sou um artista, não um ateu! Sou um artista, não um religioso!
Sou um artista, não um ateu!
Sou um artista, não um religioso!

- Crônica do dia 18-06-2018 -

Por que haveria de ser qualquer destas coisas? Passo a dissertar...
Um ateu (a-teo), do grego, traduz-se, em uma pessoa que não crê na existência de Deus.
Um religioso consegue devotar a vida a homens que deturpam a Sua essência...

Em uma palestra de Ariano Suassuna em Paulo Afonso, acho que em 2011... É... Realmente foi em 2011! Estava com um escritor maravilhoso, amigo meu, diga-se de passagem... Gecildo Queiroz.

E mais alguns amigos do nosso ciclo, foi no dia em que Ariano Suassuna foi a Paulo Afonso, Gecildo havia lançado seu primeiro livro há pouco tempo, e foi pedir ao ídolo que autografasse. E Ariano lhe disse:

- Gostei da Capa!

E de fato a capa era linda mesmo! E Gecildo Ficou todo feliz e nos disse:

- Ariano gostou da capa do meu livro! Então pra mim o resto pode ser uma merda que eu nem ligo! – Disse ele brincando, é claro... Todos sabemos o quanto este artista se devota à essência das coisas, sentimentos e pessoas.

Foi neste dia em que Ariano disse uma coisa interessante...

O assunto girou em torno de um livro do Engels chamado: “O Papel do Trabalho na Transformação do Macaco em Homem”.

Fazia uns quatro anos que eu havia lido este livro... No momento não entendi... Apenas absorvi...

Ao discorrer com grande admiração e ênfase sobre aquele invento que apresentava como sendo genial! Ariano disse que “um macaco poderia trabalhar mil anos! Que nunca seria capaz de inventar um negócio daquele”! Um pregador de roupas de madeira...

Porque o homem, teria uma centelha divina!

Fiquei a pensar sobre isso... Uma centelha divina... Legal...! O problema é tentarem me convencer das historinhas pra boi dormir que criaram para explicar a criação e a essência de tudo... No mais os hábitos, ditames, preconceitos e comportamentos da sociedade judaica dos tempos de HERODES (Porque todos sabem que ele é que era o REI da Judeia, o reino de Cristo era no OUTRO MUNDO! Lembram?)

Algo como... Uma galera que estava travando uma discussão sobre a legitimidade da união gay a partir da... Bíblia! Vamos lá... Se a bíblia é um livro jurídico constituído para um grupo de poder que não aceitava este comportamento... Pouco me importa se “divino”, ou não, o livro... Papel aceita tudo... E caneta escreve o que o punho manda... E a hermenêutica é deles também... ☹

Não vou me alongar com estes detalhes...

E fui andar... Centro Kardecista, Casa de Umbanda, Terreiro de Quimbanda, Terreiro de Candomblé, Taróloga, Quiromancista, Budista, Islâmico, Mórmon, Catolicismo, Universal, Deus é Amor, Congregação Cristã, missionário, vidente, astrólogo, Hinduísmo, pajelança, filosofia, Maçonaria...

E sabe o que é mais interessante... Cada um tem um conceito legal, que eu vou resumir em alguns que eu aprendi e que achei mais plausíveis a harmonizados.

Não direi o nome do grupo filosófico ou religião (não vou chamar nenhuma de “seita”! Quem cria a linguagem é povo, e, quando pararmos de nos diferenciar por conta de um dicionário... As coisas ficarão melhores para todos). Mas, cada qual vai se identificar.

Deus é luz!

Deus é a grande energia criativa!

Deus é prosperidade!

Deus está dentro de cada um de nós!

O homem cria [as características do] seu Deus de acordo com sua necessidade [social].

Deus é o Grande Arquiteto Do Universo e nós somos os pedreiros de sua obra.

A mente do artista não pode ser ateia ou religiosa... Precisa ser livre para pensar e alcançar a luz da criação divina que nos permeia a todos os momentos e nos mostra como amá-lo para que possamos compreender Sua obra e reproduzi-La em sons, letras, cores, formas, movimentos, imagens, gostos, amores, gestos...

Sou um artista, não um ateu!
Sou um artista, não um religioso!

Graciliano Tolentino
18 – 06 – 2018
Graciliano Tolentino
Enviado por Graciliano Tolentino em 18/06/2018


Comentários


Imagem de cabeçalho: Sergiu Bacioiu/flickr